rdb_closeup_header

Close-Up

Os finalistas apresentam-se

Dar um espaço para os finalistas do curso de Belas Artes da Universidade do Porto exporem os seus trabalhos – é essa a função principal do Close-Up, uma iniciativa que tenciona, entre os dias 1 e 11 de Julho deste ano, levar ao antigo edifício da RDP, localizado na Rua Cândido dos Reis, uma exposição de obras de finalistas dos cursos de Design da Comunicação e Artes Plásticas.

A iniciativa parte de Márcia Novais, coordenadora do projecto e ela própria finalista do curso de Design de Comunicação: “desde que eu entrei na faculdade só houve uma exposição de finalistas, já não se faz há quatro anos, e acho que é bastante útil”, explica. “Decidi que podia fazer isso como o meu projecto final de curso”, possibilitando assim aos seus colegas a “oportunidade de mostrar o seu trabalho”. O projecto “foi crescendo” e actualmente há toda uma equipa a preparar o evento que, para além da exposição, conta agora também com a preparação de um catálogo da mesma incluindo “textos de opinião e alguns textos teóricos”, bem como de uma série de conferências “com convidados nacionais e internacionais”.

A ausência de um projecto semelhante em anos recentes (atribuível, segundo Luís Nunes, estudante finalista de Pintura e um dos responsáveis pela gestão e planeamento do projecto, a uma falta de “iniciativa” da faculdade, pouco virada para “a amostra pessoal e para lançar novos artistas no mercado”) terá, segundo os representantes do Close-Up, tido algum efeito no cenário artístico portuense actual, pouco receptivo a novos artistas. “Não foi dada a visibilidade aos alunos mais recentes que saíram da faculdade agora” diz Luís Nunes “não tens referências de novos artistas; as únicas que tens são de alunos que saíram da faculdade nos anos 90”. Márcia lamenta a tendência de “cultivar a ideia de trabalhar para os outros – não há aquela ideia do projecto individual”.

O Close-Up é então, segundo a sua coordenadora, uma tentativa de fazer uma “crítica pró-activa”, ou seja, de não se limitar a “criticar a questão de não haver emprego, ou se há funciona muito mal” mas também “fazermos alguma coisa para potenciar a empregabilidade no sector das artes”. A exposição pode ser vista como uma oportunidade para mostrar projectos pessoais, não encomendados, o que segundo Márcia cria a possibilidade de “as pessoas contratarem-te por aquilo que tu fazes, e não pelo que fizeste para os outros”. É uma questão de “demonstrar perante a sociedade portuense que realmente existe um trabalho feito por alunos de artes plásticas e design”, remata Luís.

O nome do projecto é derivado de uma das mais famosas linhas da história do cinema: “all right Mr.DeMille, I’m ready for my close-up”, proferida por Gloria Swanson no clássico “Sunset Boulevard”. Escolher a linha tragi-cómica de uma actriz em declínio para celebrar novos talentos poderá á primeira vista parecer um tanto perverso, mas Márcia Novais recontextualiza a linha, despindo-a da sua triste ironia original para a transformar numa mensagem de esperança – “nós neste momento de final do curso estamos preparados para este grande plano”.

A exposição Close-Up, que poderá contar com “40, 50 obras, mas isso ainda não está definido” vai arrancar em Julho; ao mesmo tempo, assistir-se-á também a uma série de conferências sobre “temas de grande relevância na empregabilidade dos recém-licenciados e no sector criativo em geral”.

Em antecipação, irá ocorrer no próximo Sábado, dia 6 de Fevereiro, uma apresentação do projecto no Passos Manuel, com actuações ao vivo de Labrador e Cavalheiro, bem como um DJ set dos Concorrência.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This