rdb_feraumavez_header

FERA UMA VEZ

É um filme? Uma peça de teatro? Não, é uma colecção de vestidos tropicais!

Era uma vez um ilustrador, uma designer, uma fazedora de vestidos e uma estratega de marcas e comunicação. O que é que todos têm em comum? Uma selva de emoções, contada através de uma colecção limitada de 90 vestidos que deu origem a FERA UMA VEZ.

Quase como um conto de fadas, tudo começou quando Sofia Martins – a designer amiga da fazedora de vestidos – e o ilustrador Pedro Lourenço criaram o Estúdio Fera: o projecto que combina design com ilustração. Confiantes de que ambas as áreas podem andar de mãos dadas, Sofia e Pedro aceitaram o desafio já de trunfo na manga, quando desenvolveram os cenários da colecção “Temporada IV: Olívia e Branca de Neve” da Bainha de Copas.

Um nome de encantar, sinónimo de cores fortes e padrões fora do comum, costurados pela vontade de vestir felicidade e bem-estar. É assim que, desde 2010, a Bainha de Copas se define na criação de peças que, moldadas como uma segunda pele, conjugam histórias de encantar, fábulas e lendas. Mas falemos da fera!

Partindo de uma ilustração criada pelo Estúdio Fera, na qual babuínos de barba azul, zebras, girafas, rinocerontes, flamingos e leopardos olham fixamente para um ponto, surge a vontade da Bainha se aliar à dupla Fera. Como? Através da criação de uma coleção-cápsula de vestidos, com tecidos impressos exclusivamente para a Bainha com as ilustrações Fera.


Teve então início a história de amor e a aventura tropical que durou 104 dias (e algumas noites) – confessou à RDB, Graça Martins, estratega de marcas e comunicação e a criadora da Bainha de Copas. Contou-nos também que “(…) a definição do conceito, de inspiração tropical, estava lá desde início, na tal ilustração-paixão que vinha da selva, na música que o Estúdio Fera estava a compor como identidade sonora do próprio Estúdio e que soava a ilha, no mood da Bainha que, como não tem coleções em alturas pré-definidas, queria criar algo que contagiasse o espírito luminoso do Verão para todas as estações. Não podíamos estar mais em sintonia.”


O processo de criação de FERA UMA VEZ começou pela realização de esboços e testes de cor, passando pela adaptação dos elementos gráficos da ilustração a modelos de todos os tamanhos. Acompanhada de fluidez, descontração e libertação de ideias, este processo culminou na escolha dos seis padrões que dão nome aos principais vestidos da colecção: o primeiro, “Esconde-Esconde”; “Nadadoras em Sintonia Tropical”, o segundo; em terceiro, “O Amor é um Labirinto”, “Coração da Selva” em quarto, “Pirilampos em Coração de Trevas”, o quinto e o sexto, “Polvo no Espaço”. Sobre os mesmos, pode ler-se (no website da colecção) que são “inspirados em paraísos tropicais, bosques defendidos por cactos seculares e lagos cintilantes com cheiro a ginkgo biloba”. Nesta condição olfativa, questionámos o facto de FERA UMA VEZ apresentar seis padrões: se é apenas uma particularidade da colecção ou não. Graça Martins explicou à RDB que “não há nenhuma razão cabalística, há uma razão de harmonia de colecção e de representatividade de estilos, motivos e tons.”

Deste modo, e para reforçar as características inerentes à colecção – emoção, vivacidade, luz e cor -, foram realizados seis vídeos e uma sessão fotográfica com o objectivo de iniciar a contagem decrescente para o lançamento de FERA UMA VEZ, uma parceria da Bainha de Copas com o Estúdio Fera.

No primeiro dia do mês de Outubro, nasceu então a Fera. Graça Martins, da Bainha de Copas, revelou-nos que o lançamento da colecção vai decorrer online em plataformas de divulgação e apresentação de projectos como a Rua de Baixo, e em outros meios internacionais de Moda, Design e tendências, contactados e interessados na colecção. “Ao vivo e a cores, ainda está muita coisa em aberto. Com um tema tão frondoso como este, ideias não faltam, (…)” – mencionou Graça Martins acrescentando que “(…) vamos seleccionar as melhores e tratar da apresentação desta edição limitada com o ilimitado cuidado e carinho que nos merece desde o primeiro dia.”

O destino de FERA UMA VEZ está traçado e a meta foi ultrapassada com os primeiros 90 vestidos da colecção. Porém, a história não termina aqui; aguardam-se surpresas e mais novidades para contar em primeira mão, de uma Fera que ainda agora acabou de nascer.



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This