rdb_fiction_header

Fiction

Anarquistas Pop

Alguns descrevem-nos como anarquistas Pop, e não andam muito longe da verdade, pois o quarteto londrino aproxima-se do obscuro Mundo dos primordiais passos da New Wave. Os Fiction, são uma formação standard de Londres e formaram-se no ano de 2009. Na senda de um primeiro álbum, o grupo já actuou no Offset Festival em Essex, Sŵn Festival em Cardiff e tiveram aparições nas “live sessions” das rádios BBC Radio 1, BBC 6 Music e Diesel Radio.

Mas a chama desta banda conhecerá tempos melhores a partir do dia 11 de Novembro, dia em que começam uma digressão com os Klaxons.

Durante aproximadamente um mês, a montra abre-se com um valente e derradeiro empurrão que lhes deve de servir de trampolim para o tão almejado, primeiro trabalho e para a muito esperada, fuga do anonimato, a leste de um cio farsolas e da poluição Pop bubble-gum mastigadas pelas tabelas de consumo convencionais

Os tópicos no Myspace da banda, deixam antever um futuro e salutar passeio pela cena Indie britânica. No catálogo perfila-se primeiro “Phyllis” e logo aí, a tal anarquia é sublimada quando um Post Punk da velhinha tela dos Echo & The Bunnymen leva repentinamente com as cores do Afro “Grace Wastelands” de Paul Simon, lembrando em muito, as regras quebradas à pop pelos rebeldes Vampire Weekend.

Alinha-se depois “Simulacrum”, uma New Wave teclada ainda a cru com espasmos na linha do disléxico Cabaret Rock do falecido Ian Dury, salpicada com falsetes à lá Spandau Ballet dando um excelente ensaio para abanar a anca desenfreadamente.
No acto seguinte, a banda acena à sincronia do traje rockeiro dos Devo em “Curiosity” numa passada de um (slow emotion replay) que parece explodir a qualquer momento, mas que fica contida entre as paredes da pop experimentalista, capaz de despoletar um efeito em cadeia, de esquizofrenia claustrofóbica, se a entoarmos durante um duche de água fria.

O primeiro single da banda “Zebra Crossing” já com um vídeo caseiro nas páginas do infame youtube, é uma tortuosa viagem a um ensaio dançante. Um momento agridoce na linha dos jurássicos Talking Heads a na sua extremosa dúvida inicial, entre as guitarras e os sintetizadores, acabando por triunfar os dois instrumentos, tal como no caso dos extintos padrinhos, transformando-se num clic expressivo da cadência de uma locomotiva frenética na qual não se sente necessidade de puxar o alarme de emergência.

“To Stick To”, o segundo single, também com um rudimentar vídeo no youtube, espelha bem a imagem Pop destes anarquistas melódicos.

Ouve-se neste tema, um slow epiléptico, a lembrar o glamour das matinés dançantes nas discotecas dos anos 80 como um slogan erótico, nunca consumado, eternamente expiado no caos da puberdade. Um baixo a desmembrar-se perante um apelo patrono de um básico sintetizador criando um música, invulgarmente bela, mas tão simples que chega a irritar.

As cartas estão então na mesa e os Fiction têm todos os trunfos para singrar, só lhes falta mesmo o tal empurrão para que sejam notados e reconhecidos como uma das revelações para o ano de 2010, e desfrutem de uma carreira ténue, longe do cortês apanágio da novidade, mas dentro do hábito em voga, no indie rock britânico.



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This