rdb_artigo_hostels

Hostel World

Sleepy easy! Os melhores hostels do mundo são em Lisboa.

Quem é que já não ficou hospedado num Hostel e se sentiu a viajar mais ainda? O ambiente internacional, o acolhimento descontraído, a simplicidade do mobiliário e uma certa sensação cosy ou homey como refere uma hóspede brasileira na review do Traveller´s House, hostel português considerado o melhor do mundo.

Pois é, tudo isto já senti em vários países europeus e agora descubro que os melhores hostels do mundo estão em Lisboa e são três. E é o assunto do momento na imprensa internacional.

O Times, o The Guardian, a Reuters India, entre outros, escreveram sobre este feito e não há forma de o dizer com menos cerimónia: Lisboa tem os três melhores hostels do mundo e em oitavo lugar ficou outro hostel português, o Goodnight Packers.

Quem o diz são os hóspedes que já passaram pelos hostels de Lisboa; o Traveller´s House, na Rua Augusta, o Rossio Hostel, em plena Praça do Rossio e o Lisbon Lounge, na Rua S. Nicolau. Estes três foram escolhidos por mais de 80 mil pessoas, no portal de reservas hostelworld, que através de seis critérios e as reviews dos utilizadores, elege anualmente os mais pontuados no sector.

Em Dublin, cidade-sede da empresa, foram atribuídos os Hoscares. Os critérios de avaliação são seis: limpeza, personalidade, segurança, localização, pessoal e divertimento e é preciso que se diga que a indústria aguarda os Hoscares ansiosamente.

Todos estes locais são relativamente recentes e quando começaram, nem legislação existia que os enquadrasse legalmente. Não são hóteis, nem residenciais e muito menos pousadas da juventude. São frequentados por um público jovem, mas começam a ser escolhidos por gente com mais de 30 anos que procura, acima de tudo, conhecer as cidades que visita e nelas experenciar o melhor.

Uma diária num Hostel é mais barata que num hotel ou residencial, não necessariamente que numa pousada da juventude. Tal como nas pousadas, também têm camaratas e partilham-se casas de banho. O segredo está mesmo aí, num Hostel partilha-se bem mais que estas áreas, os espaços comuns são acolhedores e oferecem uma série de possibilidades aos seus hóspedes.

Os espaços comuns não são apenas lofts frios e impessoais como os que caracterizam os hotéis e maior parte deles, não passam música de elevedor ou de recepção, são antes concebidos para que exista entrosamento entre os hóspedes e o staff.

A cozinha é para uso comunitário e qualquer um se pode fazer ao fogão e cozinhar. O acolhimento é personalizado e o lema deste género de hospedagens é tratar o cliente como gostaríamos que nos tratassem a nós.

Os dados estão lançados e até festas se fazem nestes sítios. No caso do Lisbon Lounge todos os dias há um chefe de cozinha a confeccionar um prato português para quem quiser e os hóspedes podem sempre juntar-se ao chef e cozinhar lado a lado. Uma grande família, que todos os dias muda, trazendo novos mundos a espaços que são mais parecidos com guest houses que com hóteis. E Lisboa ganha aos pontos aos restantes países europeus, já há muito habituados a estas andanças.

Para os donos do Traveller´s House não existe segredo para serem os melhores do mundo, o truque está em bem receber e bem tratar. Este Hostel ficou em primeiro lugar no sítio da internet hostelworld.com e tem tudo. É limpo, bem localizado, em plena baixa pombalina, num primeiro andar que dá para a mais conhecida zona comercial da capital, no coração da cidade e num típico prédio pombalino.

Os donos destes hostels são jovens e, quase todos, viajantes por convicção. Vêm de diferentes áreas profissionais e abriram os seus negócios quando ainda não existia concorrência, e talvez tenha sido este o factor que mantém desde o início a fasquia tão elevada.

Tudo o que ganham voltam a investir e, em apenas dois ou três anos, conheceram o sucesso – os donos do Lisbon Lounge já abriram um novo hostel, o Living Lounge, na Rua do Crucifixo – e também a preferência dos bagpackers. O pessoal até pode ser descontraído, mas há coisas que são sempre essenciais.

Senão, vejamos os depoimentos deixados no hostelworld.com ou os ratings alcançados pelos três hostels portugueses. As taxas de satisfação estão acima dos 95%, nas seis categorias que o portal considera essenciais num qualquer hostel. O The Times diz que é uma impossibilidade estatística…

Actualmente, a concorrência é bastante e feroz. Lisboa está na moda e os factores que a elegem como uma das cidades mais apetecíveis da Península (ou da Europa?) são vários. Claro está que a oferta aumenta, e basta uma pesquisa na internet para perceber que as hipóteses em Lisboa são muitas.

Os hóspedes, esses vêm dos mais variados países do mundo, Austrália, Coreia do Sul, Brasil, América! E num mesmo dia, aparecem multiplicados hóspedes com a mesma nacionalidade. Pelos vistos, grande parte deles ficaram bastante satisfeitos com o burgo e com quem os acolhe.

A qualidade da hospedagem influencia em muito a experiência que vivem em Lisboa. Deixamos aqui em discurso directo, Sebastian da Guatemala, hóspede no Traveller´s House: “Best Hostel I have ever been to! Staff is the best: amazingly friendly, place is awesome, great location, beautiful city!”.

Por vezes, outros mundos estão mesmo aqui ao lado, numa qualquer sala de Lisboa, ali para os lados da Baixa Pombalina e o Rossio. Quase que apetece ir ver como é!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This