Pacer-Main-Title-Artwork-1

Pacer | Review | PS4

Um F-zero que há muito se esperava?

Hoje trago-vos uma análise um pouco controversa, pelo menos, no tocante ao título, isto é, como é que um título que foi desenvolvido para a PS4 e para o PC está a ser comparado com um dos gigantes do mundo da Nintendo?

Bom, para vos dizer a verdade, esta comparação é injusta, uma vez que estou a contrapor dois jogos que, embora aparentem ser iguais, são muito diferentes. Mas vamos por partes.

Pacer é um jogo de corridas de alta velocidade (daí a minha comparação). No entanto, não é um simples jogo de corridas pois por detrás dessa faceta, encontramos um sistema de vida e de escudo dos veículos, coisa que em regra não vemos neste estilo de jogo, pois quem é que vai estar preocupado com o estado do carro quando tudo e todos nos batem? É isso mesmo que torna o jogo interessante na minha opinião: o estilo de armas, a jogabilidade simples e a diversidade de pistas.

A nível gráfico também pouco tenho a apontar. É um jogo bonito, com “naves” bem desenhadas e, como disse, pistas muito diversificadas, tanto ao nível de conteúdo como ao nível de visuais. As armas podiam ser um pouco mais trabalhadas, no entanto, servem para o propósito. A propósito das armas, tenho uma coisa a apontar, no que toca à informação prestada pelo próprio jogo. Estas são customizáveis de jogador para jogador, dependendo do estilo de jogo do mesmo, o que poderia ser, na minha opinião, melhor explicado. Assim, temos apenas de testar tudo o que existe para saber o que melhor se afigura ao nosso estilo de jogo. É, no entanto, interessante como cada um dos sets criados causam diferentes tipos de impacto na nossa máquina, ou seja, cada arma tem a capacidade de moldar as características do nosso veículo. Por exemplo, a nossa máxima velocidade pode ser prejudicada se aumentarmos os nossos mecanismos de defesa ou, pelo contrário, podemos ter um carro super frágil, mas super rápido.

As pistas, como disse, são extremamente apelativas, principalmente aquelas realizadas durante a noite. Assim se mostra o potencial do jogo no seu pico gráfico. Confesso, porém, que durante a noite, é mais fácil bater em tudo o que é lado. O mesmo acontece nas pistas com mais iluminação, mas é menos frequente.

Vejo também algumas semelhanças deste título com outro chamado Wipeout que tanto joguei na PS Vita. Não sei se é por motivos nostálgicos ou não, mas, do que me recordo, Pacer ainda tem um pouco para percorrer até chegar a este nível. Não significa que seja um mau jogo, muito pelo contrário. No entanto, dentro da mesma categoria de corridas a alta velocidade, existem outras opções melhores.

Em suma, apesar de se um jogo divertido, Pacer acaba por estar um pouco na sombra de certos jogos do género. Tem boas mecânicas, bons visuais e é muito competitivo, mas o que oferece de novo aos jogadores de sagas passadas? Tirando aquelas barras de vida, pouca originalidade vejo neste título. Divertido sim, único não.

 

N.º de Porta: 7/10

 

Prós:

Mata o bichinho da falta de títulos do mesmo género;

Jogabilidade divertida e simples, embora das primeiras vezes, um pouco confusa;

Bons gráficos e boa música.

 

Contras:

Pouca originalidade.



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This