Pisa-Papéis

Nasceu um novo roteiro cultural.

Pisa-Papéis: pequeno objecto que, colocado sobre papéis, impede que estes se dispersem por qualquer motivo.

É desta forma simples que o pisa-papéis se apresenta. O nome encontrado para este roteiro cultural, a ser editado no próximo mês de Junho, engloba todo um conceito por detrás dele. Porque não se quer informação dispersada, porque se pretende colocá-lo por cima de outras formas “menos organizadas” de divulgar cultura.

Com um público-alvo muito específico (criadores, produtores e programadores), os mentores do projecto, Jorge Cruz, Nuno Ricou Salgado e Cláudia Bordalo, acham que “o panorama das artes do espectáculo em Portugal revela um deficiente cruzamento de informação relativamente às criações e produções das diversas áreas artísticas.” Daí a criação deste roteiro, que surgiu no seguimento de uma formação feita no Centro Cultural de Belém, onde os três se conheceram. Decidiram então elaborar um simples guia de contactos, ideia que foi afastada para se criar uma plataforma de comunicação e promoção comum no sector e reunir informação organizada, actualizada e detalhada que divulgará não só os Espectáculos, como os seus intervenientes, ou mesmo as Entidades e os Serviços de apoio ligados à área das Artes do Espectáculo de todas as regiões do país.

O primeiro número do Pisa-Papéis contará com a edição de 5 mil exemplares e pretende chegar a todas as entidades de âmbito cultural do País, graças a uma distribuição ampla e especialmente direccionada, no sentido de garantir assim uma troca de informação consistente entre os vários agentes do universo cultural português. Está previsto ainda um novo número no final de Novembro, altura em “que o mapa autárquico estará definido”, permitindo assim às entidades envolventes delinearem a sua programação.

A ideia de definir este público-alvo tem por base a ideia de dar, primeiro, aos criadores portugueses a oportunidade de promover e divulgar o seu trabalho, expondo a informação relativa à sua actividade ou espectáculos que tenham disponíveis em agenda; depois aos promotores a possibilidade de apresentarem as suas linhas de programação, características e objectivos, meios de produção e actividades desenvolvidas, para que possam assim abrir novas perspectivas de trabalho, ao mesmo tempo que têm acesso a uma informação completa e detalhada sobre o que se produz em Portugal. Finalmente, abre-se a possibilidade de os serviços e espaços de apoios às artes do espectáculo publicitarem a sua actividade comercial e produtos, abrindo novos mercados para além da sua região de actuação mais restrita.

O roteiro é organizado mediante as seguintes áreas temáticas: Teatro, Dança, Música, Pluridisciplinares, Imagem e Novas Tecnologias, Circo, Animadores, Infantil, Estado e Instituições, Promotores Privados, Serviços, Espaços e Formação. Contará com a distribuição gratuita, além das entidades culturais nacionais, a todos os que o solicitarem através do seu site, onde poderão também consultar toda a informação contida no roteiro.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This