Cigano de Lisboa – Teatro Rápido – Mário Pires

Teatro Rápido | Agosto 2013

Em Agosto, o sol leva-nos até ao Teatro Rápido

De quinta a segunda, de 1 a 31 de Agosto, o Teatro Rápido (TR) mantém as suas portas abertas e apresenta-nos quatro propostas de microteatro.  É um mês de estreias e caras novas, com excepção para a Anna Carvalho que já nos brindou com a sua presença em Novembro, com Joana Dark.

Não podemos deixar de destacar a criatividade e o trabalho dos cenógrafos que, mês após mês, nos supreendem com uma nova roupagem para as quatro salas. Para quem visita o TR todos os meses é com muito agrado que vemos as salas a serem reinventadas pela cenografia.

SALA 1 – Cigano de Lisboa + info

Diogo Tavares leva a cabo um monólogo sobre um rapaz cujo avô o apelidava de cigano. O avô, um antigo bailarino, encomenda uma flash mob ao neto, por ocasião da sua morte. E é nesse evento que somos convidados a participar, tendo para o efeito que percorrer um labirinto de memórias do jovem cigano, o cigano de Lisboa. Cigano que não é de facto cigano, e, consta, nem sequer de Lisboa.

Uma estória sobre sonhos adiados. Uma estória do próprio Alexandre Tavares aluno da Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa (ESTAL) que,  após criar e encenar o trabalho  “A Nossa Casa” (que esteve em cena noCentro Cultural Malaposta, em Julho passado) arrisca um trabalho de cenografia. Trabalho este, que nos permite  caminhar pela e em direcção à interioridade das palavras de Armando Nascimento Rosa.

A interpretação de Diogo Tavares cumpre-se pela postura, pela voz,  uma vez que raramente cruza o olhar com o público. Numa casa de memórias, com paredes que flutuam, Diogo é o rapaz encapuzado e de pés descalços que nos diz, alto e bom som, que «a vida é uma vigarista».  E que atire a primeira pedra quem tem a certeza do contrário.

Da equipa fazem parte a fadista  Maria Barroso e o músico Pedro Limpo Rodrigues, encontrando-se a produção a cargo de João Pires, a fotografia e vídeo a cargo de Sofia Marques Ferreira.

Cigano de Lisboa - Teatro Rápido - Mário Pires

Horário das sessões: 18h00 | 18h30 | 19h00 | 19h30 | 20h00
quinta a segunda | M/12

 

SALA 2 – Belo, Feio e Assim Assim + info 

Amar e perder e depois escrever sobre isso, talvez seja essa a ordem natural das coisas – assim escreveu Adriano Teixeira e assim diz Duarte Grilo, o actor que veste o papel de um homem amargurado com um amor que já não é. O que é a vida senão começar de novo? – ouve-se a dada altura, talvez depois do som da faca ter dado lugar ao silêncio; silêncio este interrompido pelo barulho da máquina liquidificadora. E pelas palavras de dor, vestidas pelo Duarte que nos surpreende num registo que lhe desconhecíamos.

Fala-se de uma mulher que  inspirou  a escrita do homem que encontramos na sala 2. Inspirou também a maldição que sente pela escrita, pelas palavras e sobretudo pelas expectativas. Começar de novo – Belo, feio e assim assim deixa-nos uma receita para os começos: cortar a dor com uma faca, como se de uma intervenção cirúrgica se tratasse. Pegar na dor e ligar a liquidificadora, que tratará de a  reduzir a pedaços muito pequenos; criando, assim, a ilusão de que irá desaparecer. Mas não desaparece, nem mesmo quando a luz se apaga.

A brilhante encenação é de José Carlos Garcia e a cenografia e grafismo estão a cargo do Pedro Vercesi. Luciana Coelho é responsável pela fotografia de cena.

Um trabalho que nos surpreendeu pela simplicidade e pela verdade que se vive e respira em apenas quinze minutos – que podem ser sinónimo de toda uma vida.

Belo, Feio e Assim Assim - Teatro Rápido - Mário Pires

Horário das sessões: 18h05 | 18h35 | 19h05 | 19h35 | 20h05
quinta a segunda | M/12

 

SALA 3 – Barbona + info 

Marta Prieto assina o texto, encena  e assume a interpretação. Nesta última tarefa, conta com a companhia de Anna Carvalho, actriz que revisita o «palco» do TR.  Na sala 3 encontramos duas mulheres (uma só?): a louca e a sonhadora. Ambas vagueiam pelas memórias de um passado que pouco tem de feliz. Liga-as uma boneca de trapos que rodopia de sentimento em sentimento, presa à roda de uma bicicleta.

A imagem gráfica, cenografia e produção estão a cargo de António Proença Azevedo, contando a pela com a assistência de produção de Rita Borreccio e Ana Bicker.

Barbona encontra-se disponível em português e, ainda, em italiano (a partir de 17 de Agosto) mediante reserva antecipada para grupos. Para o efeito, deverão contactar através de telefone ou e-mail: 213 479 138 ou tr@teatrorapido.com

Barbona - Teatro Rápido - Mário Pires

Horário das sessões: 18h15 | 18h45 | 19h15 | 19h45 | 20h15
quinta a segunda | M/16

 

SALA 4 – Sol-Ida-Mente… Juntos!

Igor Sampaio e Isabel Damatta  dão corpo a um texto de Tom Lis que nos leva ao quotidiano de um casal cuja vida ficou sem sal (e sem sol). O diálogo pauta-se por alguns momentos de humor e de reflexão sobre as relações e as promessas que se esquecem algures numa gaveta, ganhando humidade.

É um texto sobre memórias, capaz de nos fazer lembrar o humor e o teatro de outros tempos. Assinalamos uma nota positiva para o TR que se mostra disponível para acolher as mais diversas formas de expressão teatral e, também, o público mais diverso. Só mesmo num espaço como o TR é que podemos ter uma peça com linhas estruturantes muito tradicionais numa sala onde, um dia, já fez parte do cenário um touro mecânico.

A peça não surpreende, mas cumpre-se no seu propósito. Sol-Ida-Mente… Juntos! conta  com a produção de Luís de Freitas e a assistência de produção de João Gouveia.  A encenação está a cargo de Fernando Gomes.

Sol-Ida-Mente… Juntos! - Teatro Rápido - Mário Pires

Horário das sessões: 18h20 | 18h50 | 19h20 | 19h50 | 20h25
quinta a segunda | M/12

Para onde nos leva o sol, no TR? Em Agosto, o caminho é o do passado. Todas as propostas têm em comum uma viagem a um ontem (mais ou menos recente), tendo em comum a partilha de eventos menos felizes, de dores paridas e de solidões vividas na primeira pessoa.

Recordamos que os bilhetes custam 3€, encontrando-se disponível um pack para as quatro sessões pelo valor de 10€. Sugerimos que vá com tempo para usufruir do espaço lounge do TR Bar onde poderá refrescar-se com uma das muitas bebidas disponíveis e alimentar o corpo. O espírito, esse, alimenta-se com uma visita às salas de teatro. E o menu, como pode ver, tem opções para os mais diversos gostos.

Da programação deste mês de Verão fazem ainda parte os serões PFShortFest, nos dias 8  e 22  de Agosto , fruto de uma parceria com Portugal Fantástico, e que teve início em Junho.

 

Fotografia de Mário Pires



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This