MOTELx 2013: entrevista a Hideo Nakata

Hideo Nakata

"o maior desafio é fazer com que os sentimentos das personagens pareçam reais"

Hideo Nakata nasceu no Japão, em 1961, e estudou Jornalismo na Universidade de Tóquio, mas a sua paixão pelo cinema fez com que se tornasse realizador…

Na sétima edição do festival, foi um dos convidados internacionais do MOTELx, estando presente na exibição do seu filme “The Complex”, que esgotou dias antes da sua apresentação. Contudo, foram também exibidos outros filmes do realizador, tais como “Ring”, “Chaos” e “Dark Water”.

Dos filmes que realizou, qual é o seu favorito e porquê?

É complicado escolher um, mas talvez “Ghost Actress”, também conhecido como “Don’t Look Up”. Porquê? Provavelmente por se tratar de uma história original, que eu escrevi, e com a qual criei uma ligação emocional muito intensa, que eu próprio não consigo explicar muito bem… Trata-se de algo que sinto no meu íntimo e que penso que não consigo exprimir da melhor forma possível…

Qual é o maior desafio com que se depara enquanto realizador?

Creio que o maior desafio é fazer com que os sentimentos das personagens pareçam reais… Isso não é uma tarefa fácil porque nós não temos a capacidade de experimentar a vida das outras pessoas… Ainda assim, enquanto realizador, eu tento lidar da forma mais profunda possível com a vida dos outros e tenho presente que cada personagem tem uma vida diferente da outra, uma vida que eu considero única, especial. 

Como é que se sente em relação ao seu último trabalho, “The Complex”?

Enquanto estava a pensar sobre as várias ideias que tinha para realizar o filme, cheguei à conclusão que queria que “The Complex” fosse, simultaneamente, triste e assustador.

Posto isto, e tendo em conta que já na fase de avaliação do resultado final chorei, sobretudo no fim do filme, creio que, em parte, consegui cumprir com os meus objectivos, o que me deixa, naturalmente, satisfeito.

E sobre “Monster”? Pode dizer-nos algo exclusivo sobre esse novo projecto?

“Monster” é baseado num filme coreano chamado “The Hunters” e encontra-se entre o remake completo e a adaptação, uma vez que existem cenas idênticas entre ambos, cenas que mantive porque respeito imenso o filme original.

É sobretudo um filme de acção e, nesse sentido, vai ser muito diferente do “The Complex”… Espero sinceramente que, apesar dessa diferença, as pessoas gostem, e aguardo ansiosamente pela suas reacções.

Quer deixar uma mensagem para os leitores da RDB?

Vão ao cinema ver o “The Complex” e os meus próximos filmes! (risos)

Espero que gostem, que sejam críticos em relação aos meus filmes porque é isso que me faz crescer enquanto realizador e que continuem a querer acompanhar o meu trabalho!

 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This